Descartes

Da terra tirarás o teu sustento. Esta frase bíblica devia existir com algumas explicações anexadas. Uns poucos capítulos que expusessem através da palavra, que ainda é o melhor que temos para nos entendermos uns aos outros, a sua pertinência. Porque dizer que da terra tirarás o teu alimento não é o mesmo que dizer da terra terás sempre alimento disponível sejas lá quem fores ou onde estejas. Deixo algumas sugestões para quem quiser escrever um livro acerca de tão importante tema.

Primeiro explicar a parte técnica envolvida na arte de tirar alimento da terra. Um guia que explicasse passo a passo o que fazer, como um manual de instruções. Resolvida esta parte, tirava-se cópias, pois sabemos quão vulnerável pode ser o papel, e esta informação é essencial., Depois segue-se para a segunda questão: a ética.

Não se pode tirar da terra, mais do que é necessário. Seja por que motivo for. Não existe qualquer razão para o fazer. Seja por ganancia, por medo de um dia haver escassez, com o objectivo de armazenar para depois vender a um preço que ofereça margens de lucro, porque é divertido, seja por o que for. Nada. Tira-se o que é preciso, usando o bom-senso claro está. O bom-senso é algo que deve existir instintivamente, porém, existir a possibilidade de consultar um manual de bons costumes é sempre uma vantagem.

Para além da moderação também é importante o respeito. Tratar a terra com respeito, porque é assim que depois é possível tratar as coisas vivas com respeito. Se não se trata a terra com respeito, ou as pedras, ou os charcos, ou as folhas secas das árvores, acaba-se por não ter respeito por nada. Depois disto mais um capítulo sobre o que é isto de tratar a terra com respeito. Depois um posfácio, antes um prefácio, agradecimentos, as devidas referencias, um bem aja e paciência. Muita paciência ia ser precisa, e não se sabe mesmo para quê. Para quê tudo isto? Mas pelo menos assim, com o sustento garantido, à custa do trabalho próprio, e não do trabalho dos outros, que é por contradição impróprio (cá temos novamente as palavras a sugerir-nos boas ideias) tínhamos tempo para pensar. O que mais há para fazer se não dedicarmo-nos ao pensamento? Só assim se pode existir. Penso logo existo. Esta é outra frase que devia estar sempre acompanhada do devido enquadramento filosófico. E não abandonada numa foto de perfil de rede social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.