Sair de casa

Não saía de casa há mais de uma semana. Nunca tinha estado tanto tempo sem sair de casa. Os primeiros dois dias foram passados em casa como que por acaso. Ou seja, aconteceu. Depois disto quis ver até onde conseguia ir. Tinha visto no telejornal a notícia de uma família na Holanda que por estar convencida que o mundo ia acabar, enfiaram-se num Búnquer, de onde só saíram passados nove anos. As razões que levaram a família a acreditar em tal coisa ficaram por contar. Foi uma notícia de final de telejornal, onde só há um tempo para o entretenimento, pois é assim que se deve acabar as noticias,num tom leve. Não tenho qualquer teoria a respeito da história ou das razões por detrás das causas. Provavelmente tratasse de gente que deseja ver o mundo acabar. O desejo é tanto que acabam por fazer este tipo de disparates.

Já eu não saía de casa há mais de uma semana. Sabem quando fazemos uma coisa todos os dias, e por uma razão ou por outra deixamos de a fazer. Quando voltamos a fazê-la parece-nos diferente. Saí de casa passado uma semana. Se tivesse os mantimentos daquele Búnquer tinha-me aguentado mais uns dias, quem sabe mais uns meses. Saí porta fora e foi até ao café. Apesar da rua ser a mesma (estou convencido disto) parecia diferente, e por isso melhor. Já o caminho que fiz depois do café até ao super-mercado foi arrastado, por obrigação, sem interesse. Foi o que se conseguiu arranjar com uma semana, sete dias de jejum. Imagino como aquela família se sentiu ao sair à rua depois de estar nove anos sem sair de casa. Não deve ter sido fácil aguentar nove anos, mas com certeza valeu a pena. Estar aquele tempo todo sem sair de casa, e depois de repente ir à praia, tem de ser para toda a gente uma experiência incrível. É como ficar muito tempo a reter o ar nos pulmões, e depois finalmente ceder e deixar o ar sair. Ou como ficar muito tempo sem comer, e depois dar uma dentada em qualquer coisa. São tudo experiências que se podem fazer, sozinho, acompanhado ou em família. Quem tem um espírito cientifico tem uma boa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.